quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Escassez de água na região é culpa do eucalipto, diz estudo

Monocultura agrava o déficit hídrico e ambientalistas defendem proibição de novos plantios
Quase cinco décadas depois do início de sua implantação, a monocultura de eucalipto se tornou o principal fator de deterioração dos recursos hídricos em todo o semiárido mineiro, afirma o técnico Walter Viana, responsável pela Fiscalização Ambiental na Superintendência de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) do Norte de Minas. Ele é autor de tese sobre a desertificação na região.

Para combater o déficit hídrico provocado pelo plantio de eucalipto, os ambientalistas defendem a proibição de novos plantios na região. Conforme o estudo, uma floresta de eucalipto consome 230 litros de água por metro quadrado plantado a mais que o cerrado. E o pior: a média histórica de precipitação pluviométrica no Norte de Minas é de 1 mil milímetros por ano, e o eucalipto, sozinho, consome 800 milímetros. Já o cerrado consome apenas 500 milímetros. Ou seja: há um déficit de 300 milímetros por ano, explica o estudo.

Estima-se que as plantações de eucalipto ocupam uma área estimada em 1,5 milhão de hectares no semiárido mineiro. O pedido para proibir novas áreas de plantio já foi levado ao governo estadual na Carta das Águas, um diagnóstico dos problemas ambientais do Norte de Minas.

O outro lado - A diretora-executiva da Associação Mineira de Silvicultura (AMS), Adriana Maugeri, disse desconhecer a existência de estudos que mostrem consumo elevado de água pela cultura do eucalipto. “Essa informação não procede de forma alguma. O estudo de que temos conhecimento revela que o consumo de água do eucalipto é como o de qualquer outra cultura, como a soja e o café, por exemplo. Também depende de vários fatores, como o tipo de solo”, argumentou Adriana, sem, no entanto, citar números.

5 comentários:

  1. A cultura do eucalipto também provoca esterilidade nos animais.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Tese a cima; esses plantios desgovernados de eucalipto tem prejudicado muito a região quanto a crise Hídrica. Sem contar que os então produtores só veem o lado financeiro e não estão nenhum pouco preocupados com destruição ambiental que causam. A cada 10 hectares de eucalipto eles deveriam ter no mínimo 1 (uma) Barragem. O órgãos que fiscalizam tem que bater pesados e fiscalizar com todo rigor da Lei essas plantações e essas pedreiras que também destroem o Meio Ambiente. Se não cuidarmos agora, no futuro próximo, todos pagaremos por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com o comentário feito, no entanto não espero que no futuro venhamos a pagar um preço muito alto simplesmente porque no momento atual já estamos pagando um preço altíssimo pela falta de controle e irresponsabilidade com a vida de todas que aqui vivem; no futuro, se medidas mitigatórias forem tomadas, poderemos nem ter condição de vida humana aqui.

      Excluir
  3. Nossa! Sério? na boa acho q essa "descoberta fantástica" q aliás não é novidade p ninguém deveria ter sido divulgada a muiiiiito tempo atrás, pois é"sabido" desde muito tempo q o eucalipto é a "desgraça" das águas da nossa região

    ResponderExcluir
  4. Acho isto balela até hoje se fala muita coisa mas nada comprovado
    Gostaria de ver um estudos destes assinado por uma pessoa de conhecimento na área pois oque se e muito mimimi
    Mas nada que afirme com convicção estas informação

    ResponderExcluir