Facebook

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fábrica clandestina falsificava cachaça Havana

Adolescente de Belo Horizonte misturava cravo e canela na cachaça e utilizava rótulo de bebida original
Um adolescente de 17 anos foi flagrado na quarta (31) em um laboratório clandestino usado para falsificar cachaça da marca “Havana”, a mais famosa do Brasil. A falsificação ocorria no bairro Caiçara, região Nordeste de Belo Horizonte.

O menor foi apreendido pela Polícia Militar ao cumprir mandado de apreensão. Inicialmente, o intuito era flagrar o jovem no envolvimento com o tráfico de drogas, mas os policiais acabaram descobrindo a produção ilegal da cachaça, que chega a custar até R$ 700,00 no mercado.

Segundo o Sargento Giovani de Almeida, da 2ª Companhia Tático Móvel do 34ºBPM, o adolescente confessou que estava fabricando cachaça em casa. “Ele disse que adquiria a água ardente de procedência duvidosa e depois misturava a bebida com cravo e canela para escurecer a cachaça e deixar com o sabor similar a original”, explicou o Sargento.

Após a manipulação da cachaça, o jovem engarrafava a bebida, lacrava e utilizava um rótulo semelhante a bebida original. Há a suspeita de que o avô do jovem também realizava a produção ilegal. Além da bebida falsificada, os militares apreenderam na casa do adolescente sete munições calibre .32, duas porções de maconha e seis prensas.


sexta-feira, 26 de maio de 2017

Governo anuncia R$ 93 milhões para enfrentar pobreza na região

Anúncio foi feito durante apresentação do programa Sementes Presentes em Montes Claros
Com investimentos estimados de R$ 93 milhões, o Governo de Minas Gerais está implementando ações para o enfretamento da pobreza no meio rural do território Norte. Na região, cerca de 193 mil famílias rurais vivem em situação de extrema pobreza, segundo o Cadastro de Programas Sociais (CadÚnico). O valor previsto para ser investido neste ano é 46,5% maior do que em 2016.

O diretor técnico da Emater-MG, João D’angelis, lembra que uma das ações executadas é a distribuição de sementes para inclusão produtiva. O projeto do Governo de Minas tem como objetivo ampliar o acesso da agricultura familiar aos diferentes mercados institucionais públicos, como escolas, hospitais e órgãos da administração direta.

Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada

Campanha terminaria nesta sexta (26), mas foi prorrogada até 09 de junho
As pessoas que podem receber a vacina contra gripe através do SUS terá até o dia 9 de junho para ir aos postos de saúde receber uma dose contra três sorotipos: H1N1, H3N2 e Influenza B. A meta é alcançar 90% das pessoas incluídas no público-alvo, mas, até quinta (25), apenas 63,6% haviam recebido a vacina, por isso a campanha foi prorrogada.

Dos grupos que podem tomar a vacina pelo SUS, os idosos têm, até o momento, a maior cobertura: 72,4% desse público já imunizado. Entre as puérperas, mulheres que tiveram bebê recentemente, o alcance foi de 71,2% e, entre os indígenas, de 68,6%.

Os grupos que menos se vacinaram foram as crianças, com 49,9% de cobertura, gestantes, com 53,4% e os trabalhadores de saúde, com 64,2%. Este ano, a novidade da campanha foi a inclusão dos professores da rede pública e privada no público alvo. Até o momento, 60,2% deles se vacinaram.

·  Quem pode receber a vacina pelo SUS?
·  Crianças de 6 meses a menores que 5 anos.
·  Gestantes
·  Puérperas.
·  Idosos a partir de 60 anos.
·  Profissionais da saúde
·  Povos indígenas
·  Pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional
·  Portadores de doenças crônicas.
·  Professores de escolas públicas ou privadas.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Campeonato de Retiro entra no mata-mata

Campeonato Municipal é marcado por muitos gols e bons jogadores
Depois de 42 partidas e 179 gols marcados, média incrível de 4,26 gols por jogo, termina a Fase de Grupos do Campeonato Municipal de Retiro e no fim de semana vai começar o emocionante mata-mata.

A competição, realizada pela Prefeitura Municipal, sob o comando do popular prefeito Lula, é um exemplo para o futebol amador da microrregião, pois além da organização impecável, conta com estádio lotado em todos os jogos, belos gols e elogiável disciplina dos jogadores. São apenas 5 expulsões em 42 jogos.

As equipes classificadas na “Chave A” são: Mandassaia (14 pontos), Santo Antônio (13), Brejo Grande (8) e Cedro (8 pontos). Já na “Chave B”, as equipes que vão para o mata-mata são: Rio Pardinho I (18 pontos) sendo a única com 100% de aproveitamento, Fortuna (13), Gladiadores (9) e Caroba (9 pontos.

No sábado, 27 de maio, acontecerão dois jogos do mata-mata: Mandassaia X Caroba, às 16 horas e Santo Antônio X Gladiadores, às 18 horas. Já no domingo, dia 28 de maio, terão outros dois jogos do mata-mata: Rio Pardinho I x Cedro, às 16 horas e Fortuna x Brejo Grande, às 18 horas. Quem vencer vai para as sonhadas Semifinais. 
Tabela dos confrontos no mata-mata

terça-feira, 23 de maio de 2017

Comissão de deputados discute acerto de contas entre Minas e a União

Do montante, cerca de R$ 1,5 bilhão do acerto seriam para as Prefeituras do Norte de Minas
Os municípios do Norte de Minas têm o direito de receber cerca de R$ 1,5 bilhão do Governo Federal como compensação pelas perdas referentes a não incidência de ICMS sobre as exportações, por conta da Lei Kandir. Este dinheiro pode causar um grande impacto na economia regional. A forma de quitação desta dívida é um dos temas da Audiência Pública que será realizada na próxima sexta (26/05) pela Comissão Extraordinária de Acerto de Contas entre Minas e a União da Assembleia de Minas Gerais, que é presidida pelo deputado Tadeu Martins Leite, e que foi criada com o objetivo de mobilizar a sociedade mineira e promover debates envolvendo autoridades, empresários e trabalhadores sobre a importância de uma conciliação com o governo federal sobre a situação das dívidas do estado.

O presidente da Comissão está otimista quanto a um desfecho positivo da negociação entre o Estado e a União, até porque já existe uma decisão Judicial do Supremo Tribunal Federal reconhecendo a dívida.

O deputado Tadeu Martins Leite explica que 25% do que não foi repassado ao Estado é de direito dos municípios, e que estes recursos, que só no Norte de Minas chegam perto de 1,5 bilhão, podem melhorar em muito a situação dos municípios que estão em dificuldades financeiras.

A dívida de Minas com a União é de R$ 88 bilhões. No entanto, o governo estadual alega ter direito a receber um passivo de cerca de R$ 135 bilhões pelas perdas referentes a não incidência de ICMS sobre as exportações, instituída pela Lei Kandir. Minas paga atualmente ao Governo Federal 300 milhões mensais referente ao pagamento de dívidas.

Na microrregião Alto Rio Pardo, vários municípios seriam beneficiados com o acerto de contas entre o estado de Minas Gerais e a União. Veja quando cada município da região teria a receber, conforme cálculos de técnicos da Assembleia de Minas:
AGUAS VERMELHAS
10.560.002,18
BERIZAL
8.853.005,31
CURAL DE DENTRO
6.893.021,55
DIVISA ALEGRE
9.654.727,80
FRUTA DE LEITE
6.205.019,75
MONTEZUMA
7.681.610,08
RIO PARDO DE MINAS
18.402.695,54
RUBELITA
8.485.706.90
SALINAS
21.229.868,72
SANTA CRUZ DE SALINAS
6.192.973,93
SÃO JOAO DO PARAISO
16.781.507,18
TAIOBEIRAS
19.047.084,43
VARGEM GRANDE DO RIO PARDO
5.501.909,15

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Urgente: Rapaz é baleado em Taiobeiras

Viaturas da Polícia Militar e Samu no local do crime
Agora a pouco, um rapaz de 24 anos, identificado por Douglas, foi baleado no portão da própria casa, localizada na Rua Guaicurus esquina com Barcelona, bairro Bom Jardim, em Taiobeiras. Conforme as primeiras informações, foram três tiros, mas a vítima não morreu e foi socorrida pelo Samu.

Testemunhas contam que dois rapazes magros bateram no portão e quando Douglas abriu o portão, os desafetos efetuaram os disparos e evadiram. A ocorrência está em andamento. Qualquer informação, ligue 190.

Urgente: assalto com reféns em comunidade rural de São João do Paraíso

Agora a pouco, uma quadrilha cometeu um violento assalto com reféns em uma Mercearia da comunidade de Palmeira, zona rural de São João do Paraíso. Conforme as primeiras informações, o comerciante identificado por Anderson, sua esposa, sua filha e o seu cunhado foram levados como refém pelos bandidos, que evadiram sentido à Ninheira.

Testemunhas relatam que a quadrilha rendeu a família e clientes dentro da Mercearia.

Na fuga, os bandidos teriam liberados o comerciante Anderson e o cunhado nas imediações de Ninheira, onde houve troca de tiros com a Polícia Militar ao passar pela cidade.

Os bandidos seguiram em fuga e a Polícia Militar foi no encalço. Depois de cerca de 100 quilômetros, os bandidos teriam liberado as outras duas vítimas, esposa e filha do comerciante, em uma localidade próxima de Cândido Sales, na Bahia.

Mais informações a qualquer momento.

Radar na rodovia Salinas/Taiobeiras entrará em operação

A partir desta terça (23), equipamento passa a autuar veículos com excesso de velocidade
A partir desta terça (23/05), outros 14 radares fixos entrarão em operação definitiva nas rodovias sob jurisdição do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG), dentre eles, o que está instalado no quilômetro 17,9 da Rodovia MG-404, que liga Salinas à Taiobeiras.

O equipamento já está ligado desde o dia 16 de maio, funcionando em modo educativo e a partir desta terça entrará em operação definitiva, autuando os veículos que excederem o limite estabelecido para o trecho, que é de apenas 40 km/h. Os trechos onde os radares estão instalados foram sinalizados, indicando a velocidade máxima permitida.

Estáticos - Também já estão em operação sete equipamentos estáticos. Esse tipo de radar pode ser transportado e operado em locais, dias e horários aleatórios, ampliando as ações voltadas para o aumento da segurança viária em toda a malha rodoviária sob responsabilidade do DEER/MG.


sábado, 20 de maio de 2017

Família Costa/Mendes está revoltada com agressões durante a Festa de Maio

Jovem da Família Costa/Mendes mostra agressões
Um simples desentendimento durante o show da banda "Chicabana", na noite do 2º dia da Festa de Maio, em Taiobeiras, se transformou numa confusão sem precedentes. Conforme relatos dos membros da família agredidos, tudo começou com uma simples filmagem do show, ocasião em que uma mulher reclamou de ter sido gravada e o seu marido tentou tirar satisfação com o grupo familiar.

Com o princípio de tumulto e algumas trocas de empurrões, o marido chamou uma equipe Camuflada do Choque, que teria chegado já abafando o suposto tumulto. E é por essa ação que os familiares reclamam, pois alegam que a "Equipe do Choque" chegou batendo, sem pedir explicações. Logo após, chegaram mais agentes, inclusive militares.

O funcionário público Cleyton Costa, que estava na turma, alega que não havia motivo para agressões. "A situação era fácil de ser controlada, pois o motivo do desentendimento era apenas a gravação de um vídeo. Não precisava de violência", alega Cleyton ao Folha Regional.

Neste momento, membros da Família Costa/Mendes estão no Pronto Socorro de Taiobeiras fazendo corpo de delito, pois decidiram acionar os agentes judicialmente.

Agredidos fizeram corpo de delito
A reportagem do Folha Regional procurou o Major Giovane Rodrigues, comandante da Polícia Militar, para se manifestar sobre o caso. Ele disse que viu "várias intervenções traumáticas, todas provocadas pelos envolvidos, geralmente por brigas". O Major disse também que "muitos não aceitam a intervenção" dos agentes de segurança. "Não tem como saber quem está certo ou errado numa briga. A PM chegou tem que respeitar", disse o Major.

Quanto às reclamações dos envolvidos, o Major comentou que tinham mais de dez mil pessoas na praça, e indagou o porquê apenas "umas cinco" estão insatisfeitas. "Se fosse o caso de estarem certos, que não posso aferir... Tem um ditado... Quando um não quer, dois não brigam", disse.

Por fim, o Major Giovane disse que se houver alguma insatisfação, irá apurar. "Se houver excessos adotaremos as providências de acordo com o caso. E se houver denunciação caluniosa contra a ação policial, os responsáveis serão acionados na Justiça", concluiu.


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Polícia Civil de Salinas desvenda homicídio e vai buscar o autor em Medina

Equipe da Polícia Civil de Salinas apresenta o suspeito de matar o comerciante Lucim
Nesta sexta (19/05), a Polícia Civil de Salinas, comandada pelo delegado José Eduardo Gonçalves, realizou mais uma operação bem sucedida. Depois das investigações, a equipe cumpriu Mandado de Prisão, expedido pela Justiça de Salinas, no distrito de General Dutra, zona rural de Medina, para isso, percorreram cerca de 40 quilômetros em estradas de terra.

No local, os policiais conseguiram localizar o suspeito Willian Pereira, popular Maquita, de 26 anos, acusado de matar a tiros o comerciante Luciano Cardoso de Sá, popular Lucim, de 34 anos, no último dia 17 de abril em uma emboscada na cidade de Santa Cruz de Salinas.

Conforme Dr. José Eduardo, no momento da prisão o autor Maquita tentou evadir, mas a equipe agiu com rapidez e conseguiu imobilizá-lo. Em depoimento, Maquita disse apenas que estava sendo ameaçado. No entanto, existe a suspeita de que a motivação teria sido uma dívida de R$ 3.500,00. “Ele responderá por homicídio duplamente qualificado, sendo motivo torpe e emboscada”, disse Dr. José Eduardo para a reportagem do Folha Regional.

O delegado lembra que a vítima Lucim foi presa na operação “Ratos de Pista”, desencadeada pela Civil de Salinas para desmantelar uma quadrilha que vinha roubando cargas na BR-251. “Desde que a quadrilha foi desarticulada não houve mais roubo de carga no trecho de Salinas ao Entroncamento de Cariri”, destaca o delegado.

Também é de se destacar que todos os homicídios ocorridos na Comarca de Salinas, composta por seis municípios, nos últimos quatro anos, foram devidamente desvendados. “Temos apenas um autor de homicídio foragido, mas a sua prisão está decretada e pode ser capturado a qualquer momento”, ressalta Dr. José Eduardo, que aproveita para elogiar a sua equipe de investigadores, formada por João Aguiar, Wellington Assunção, Thiago Pires, Aurélio Martins e Arthur Barbosa.

Taiobeiras e os dilemas da Festa de Maio...

Espaço cultural é rico em detalhes e valoriza o passado de Taiobeiras
EDITORIAL
A 1ª noite da Festa de Maio foi um fracasso de público, o pior na história do evento... Nem telão foi colocado no 1º dia, desprestigiando a banda “Swingão”... Fonte informa que estão tentando buscar um telão em Salinas para o restante da festa. Fato estranhíssimo!

A Ferarp praticamente acabou, pouquíssimas empresas, e a grande maioria dos estandes estão ocupados por órgãos públicos. Os comerciantes de Taiobeiras abandonaram a Feira. A produção de lingerie é o que ainda salva na Ferarp.

Por outro lado, o espaço “Bom Jardim das Taiobeiras” (foto) novamente surpreendeu pela riqueza de detalhes e valorização da cultura.

Agora, não tem como não falar da sensação de insegurança em Taiobeiras, que alastrou pela região... A bandidagem atacou até a coleta da missa em homenagem à Nossa Senhora de Fátima, co-padroeira da cidade... O padre Ivan Alckmin proferiu uma homilia dura, chocante, polêmica... Enquanto que as autoridades provam com números que existe Segurança na cidade... As redes sociais disseminam falácias, piadas, deboches... A execução de um homem antes da Festa amedrontou os turistas. No entanto, o circuito da festa é muito seguro. Todas as vias são fechadas. Existem detectores de metais nas portarias. E todas as noites 60 policiais militares e outras dezenas de seguranças particulares fazem a vigília.

O evento custa caro aos cofres públicos do município, em detrimento de importantes serviços públicos. Com tantos gastos, é preciso retorno, o que não se ver. Mas, para a política é preciso manter o status, nem que para isso seja necessário algumas maquiagens.

Por fim, fica a esperança de que a banda "Chicabana" atraia o público taiobeirense e turistas nesta sexta (19).

Polícia Civil de Taiobeiras investiga três possibilidades para o assassinato de Zé de Belo

Sentimento no velório da vítima era de tristeza e revolta
Na manha dessa sexta (19/05) o corpo de José Barbosa dos Santos, popular Zé de Belo, foi sepultado em Taiobeiras. Ele foi vítima de execução com cinco tiros na cabeça na noite do último dia 17. O crime aconteceu na Rua Rio Grande do Sul, no Centro da cidade, próximo ao Terminal Rodoviário.

A reportagem do Jornal Folha Regional apurou que a Polícia Civil de Taiobeiras trabalha com três linhas de investigações: dívidas de jogos de baralho, queima de arquivo ou crime passional.

Até então, não constam passagens de Zé de Belo pela polícia e não existem relatos de envolvimento com drogas.

Testemunhas do homicídio relatam que Zé estava em uma casa de jogos de baralho e foi alvejado na saída, quando iria ligar a sua motocicleta. O bárbaro crime foi cometido por dois homens, que estavam em uma moto.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Tribunal de Justiça designa três juízas para a região

Turma de juízes aprovada no último concurso
Na tarde desta quinta (18/05) o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Herbert Carneiro, designou 102 juízes de direito substitutos para as Comarcas do estado. A convocação foi dirigida a todos os juízes substitutos, independentemente da data de ingresso na carreira e do fato de estarem com lotação estabelecida. O critério utilizado para a escolha foi a antiguidade na carreira da magistratura, que acabou beneficiando as comarcas dos extremos do estado.

Dentre os 102 juízes designados, estão os 25 aprovados no último concurso, que concluíram recentemente o curso de formação inicial para o ingresso na carreira. O desembargador Herbert Carneiro, explicou que essa nova designação tem como objetivo aperfeiçoar a gestão no momento atual e reiterou que nenhuma comarca ficará desprovida de juiz.

As designações serão publicadas no Diário do Judiciário eletrônico desta sexta-feira, 19 de maio, e eles entram em exercício no próximo dia 29 de maio.

Para as comarcas da microrregião Alto Rio Pardo foram nomeadas três juízas: Dra. Flávia Braga Corte Imperial (Taiobeiras), Dra. Luciana Mara de Faria (São João do Paraíso) e Dra. Marie Verceses da Silva Maia (Rio Pardo de Minas).


Ferarp 2017 terá o 5º Desfile de Lingerie

Desfile se tornou uma das principais atrações da festa
Na noite desta quinta (18/05) acontecerá a abertura da 61ª Festa de Maio e é grande a expectativa para a realização do 5º Desfile de Moda durante o evento, ocasião em que as fábricas de Taiobeiras apresentam o que há de melhor em moda íntima, tudo produzido na própria cidade.

Conforme os organizadores, o desfile, que acontecerá dentro dos estandes da FERARP – Feira Regional do Alto Rio Pardo, na noite do dia 21 de maio, contará com a participação de 11 marcas: Abuzzo Moda Íntima, Divas Lingerie, K-Marry, Luiza Lingerie, Madu Love, Pollisaac Moda Praia, Polly Lingerie, Rarah Sedução, Rasdu, Saranda Lingerie e With Love.

A organização do desfile é da AMIP - Associação Moda Íntima e Praia de Taiobeiras, que representa mais de 20 empresas de confecção em plena expansão de seus negócios, gerando mais de 300 empregos diretos e 800 indiretos. Ainda conforme os organizadores, o objetivo do desfile é  promover, fortalecer, gerar novos negócios e consolidar a cadeia produtiva da lingerie e moda praia de Taiobeiras como polo de confecção norte mineiro.

A fomentação do pólo de lingerie em Taiobeiras é feita pela Prefeitura Municipal, com o patrocínio do Banco do Nordeste, que viabilizou a promoção e o fortalecimento da cadeia produtiva, e ainda com o apoio do Sebrae.

PM prende caçadores em Padre Carvalho

Arma e materiais utilizados em caça foram apreendidos com os autores
Na manhã dessa quinta (18/05), uma Guarnição da Polícia Militar de Padre Carvalho, comandada pelo Sargento Cristiano, apurou denúncia anônima e conseguiu prendes dois caçadores no KM 18 da Rodovia LMG-627. Os militares seguiram as marcas dos pneus em uma estrada paralela até que depararam com um veículo Ford KA, cor preta.

Ao serem abordados, os autores, identificados por Genivaldo, de 39 anos e Léo, de 27 anos, foram flagrados com uma espingarda de fabricação artesanal, estilingues, facão e um pássaro silvestre abatido, além de outros apetrechos utilizados em caças predatórias.

O autor Genivaldo assumiu ser o dono de todos os materiais. Ambos receberam voz de prisão e foram conduzidos à Delegacia da Polícia Civil.


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Pai de família é assassinado com 5 tiros em Taiobeiras

Homicídio aconteceu em um local de grande movimentação na cidade
Na noite dessa quarta (17/05) um cruel assassinato chocou a população de Taiobeiras. O crime aconteceu no início da Rua Rio Grande do Sul, no Centro de Taiobeiras, onde existem vários bares e bancas de jogos.

Conforme as primeiras informações da Polícia Militar, a vítima José Barbosa dos Santos, de aproximadamente 40 anos, conhecido por "Zé de Belo", foi alvejado a queima roupa com 5 tiros no rosto.

Testemunhas relatam que Zé estava em uma casa onde há costumeiramente jogos de baralho, e ao sair em direção à sua moto, que estava estacionada em frente, dois pistoleiros em uma motocicleta, que o aguardava nas imediações, consumaram o fato e evadiram em alta velocidade.

Até então a polícia não tem nenhuma suspeita ou motivação do crime, pois Zé não possui passagens pela polícia e não tem nenhum histórico de envolvimento com drogas. Ele era pai de três filhas, de 10 meses, 15 e 17 anos.

Quem tiver qualquer tipo de informação para ajudar a polícia pode ligar, de forma anônima, para 181 ou 190.


PM de Taiobeiras apreende menores que tentaram matar desafeto

Autores de 15 e 16 anos foram levados para São João do Paraíso, onde foram autuados por tentativa de homicídio
Na tarde dessa quarta (17/05), dois menores de 15 e 16 anos abordaram um desafeto de 16 anos na Praça Viva Vida, bairro Sagrada Família, em Taiobeiras, ocasião em que dispararam dois tiros, sendo que um acertou o braço direito. A vítima estava acompanhada de duas meninas, uma de 14 e outra de 16 anos.

Uma Guarnição da Polícia Militar, comandada por Sargento Marcelo Lopes, deparou com a vítima sagrando na garupa de uma moto a caminho do Pronto Socorro.

Com as informações da vítima, os militares conseguiram localizar a residência dos autores, na Rua Guaicurus, onde ambos foram abordados. Um deles tentou evadir, mas foi contido pelos policiais. Ambos possuem passagens por envolvimento com o tráfico de drogas.

Os dois menores foram encaminhados para a delegacia de São João do Paraíso, onde estão sendo lavrados os flagrantes, já que a delegacia de Taiobeiras está sem escrivão de plantão. Em contato com a reportagem, o delegado Everson Moura informou ao Folha Regional que os menores foram autuados por tentativa de homicídio.

Polícia Civil prende homem acusado de estupros em Salinas

Comerciante de 60 anos foi preso após investigações
Nesta quarta (17/05), a Polícia Civil de Salinas cumpriu Mandado de Prisão no bairro Maracanã, onde prendeu um comerciante de 60 anos, acusado de estuprar duas crianças.

Conforme as investigações, que começaram após denúncias da família de uma das crianças, o comerciante possui um bar, que também vende doces, próximo a uma escola, e ele usava o estabelecimento para atrair as meninas. Ainda segundo a Polícia Civil, o dono do bar teria abusado de pelo menos duas crianças, uma de 10 e outra de 13 anos. Os investigadores apontam que o autor oferecia doces e pequenas quantias em dinheiro em troca dos abusos.

No curso das investigações, os policiais encontraram uma recarga de celular feita pelo autor em nome de uma das menores, além disso, também foram localizados no telefone de uma das vítimas os registros de várias ligações feitas pelo acusado.

Conforme o delegado José Eduardo Gonçalves, o autor poderá responder por aliciamentos e estupros de vulneráveis, já que as duas vítimas identificadas são menores de 14 anos. Não estão descartadas as possibilidades de haver mais vítimas, por isso, o delegado pede aos pais que suspeitam de possíveis abusos para denunciar nos telefones 190, 181 ou diretamente no Conselho Tutelar: 99859-1623.
Conforme a Polícia Civil, este bar era usado para cometer os abusos

Quintino de Rio Pardo e as reformas temerosas

Por Levon Nascimento
Há 129 anos, em 13 de maio de 1888, a regente do Império do Brasil princesa Isabel, na ausência do pai o imperador dom Pedro II, em viagem ao exterior, assinou a famosa Lei Áurea, colocando fim a quase quatro séculos de escravidão no país. Fim legal, pois as formas de trabalho análogas ao escravismo continuariam a existir em solo brasileiro até os dias atuais.

Por motivos de argumentação e de curiosidade histórica, relato dois fatos pitorescos ocorridos naqueles dias no Vale do Rio Pardo (norte de Minas). Recorro à coleção de informações apresentadas nos quatro volumes da obra “Efemérides Riopardenses”, publicada em 1998 pelo cônego Padre Newton de Ângelis, da cidade de Rio Pardo de Minas.

A 11 de junho de 1888, vinte e oito dias depois da abolição, os poderes públicos da região ainda se encontravam na “árdua” tarefa de proteger o patrimônio privado e desfigurar a dignidade humana. Em Rio Pardo, o delegado de polícia mandou amarrar em frente à porta da casa do subdelegado um negro chamado Quintino, que chegara à cidade em 19 de maio (quatro dias depois da publicação da Lei Áurea), “fugindo de seu dono”, morador de São José do Gorutuba, região da futura Janaúba. O “dono”, um tal de Vitorino Nunes de Brito, à revelia das autoridades, ameaçava levar o negro de trinta e poucos anos amarrado ao rabo do cavalo de volta à sua fazenda.

Pela lei da princesa, Vitorino não era mais senhor de escravos, Quintino era um homem livre e mesmo que não fosse a legislação da época também não permitiria tal atrocidade, caso empregada corretamente pelas autoridades. Porém, pouco importava. Valia mesmo era a noção torta de propriedade, atrelada aos conceitos de autoritarismo, patrimonialismo, racismo e latifúndio, marcas da colonização e da formação do Estado brasileiro e de nossa sociedade. Em outras palavras, corrupção da lei. Característica ainda muito forte nestas terras esquecidas do Vale do Rio Pardo. Vitorino rugia enquanto Quintino sangrava.

Também em Rio Pardo, a 12 de julho de 1888 – um mês adiante –, o vereador Atanásio Silva sugeriu à Câmara Municipal rio-pardense a nomeação de uma praça com o nome de TREZE DE MAIO, em homenagem à libertação dos escravos. Segundo relatos, foi naquele espaço, alguns dias depois de 13 de maio (sem exatidão de data), que os ex-escravos “fizeram a grande festa da liberdade (...) e batucaram (...) até o alvorecer do dia seguinte”. Não sei se a praça ainda existe com o mesmo nome naquela cidade.

A verdade é que no episódio de Quintino, as autoridades já sabiam do fim legal da escravidão. O episódio da festa da liberdade na praça comprova isso. Por que não intervieram no assanhamento do ex-dono que queria levar o jovem ex-escravo de volta à senzala? Pior, por que elas próprias algemaram um homem livre e inocente à porta do subdelegado?

Talvez a resposta esteja na cultura da violência autoritária e na desumanização do outro, sempre presentes na história brasileira, sobretudo quando se trata do negro, dos indígenas, do desvalido (vide o caso da guarda municipal de São Paulo, seguindo ordens do prefeito, tomando colchões e cobertores de moradores de rua em pleno frio paulistano), da mulher, do submisso, do indefeso, enfim, do pobre. Só é gente para as autoridades encasteladas no Estado brasileiro aqueles que se apresentam como proprietários. A condição humana apenas, não basta.

Quintino, “o negro forro” que fugiu dos maus-tratos, mesmo tendo a lei a seu favor, não tinha a proteção do Estado de Direito que lhe garantisse a liberdade e o respeito frente a um senhor ilegítimo e cruel. Ele representa, com altas cores de atualidade, os brasileiros trabalhadores de 2017. Cidadãos que a despeito das garantias da avançada Constituição de 1988 estão à mercê da gangue temerária que se apossou da República com o golpe de 2016.

O Estado brasileiro sempre esteve comprometido com a manutenção do status quo da elite perdulária, perpassado por um ou outro período em que esse predomínio plutocrático se fez menor ou ameaçado. O getulismo, o janguismo e o lulismo se constituíram nesses curtos momentos, mas todos igualmente golpeados e fulminados pelos “verdadeiros” donos do poder.

As medidas do governo Temer, tais como o teto dos gastos públicos para a seguridade social, a selvagem lei das terceirizações, a reforma trabalhista que mata a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) aprovada sob Getúlio Vargas, o desmanche das políticas públicas da era Lula-Dilma e a indefectível reforma da previdência, que pretende fazer com que os brasileiros morram sem se aposentar, são comparáveis – em forma e conteúdo – à desenvoltura com que Vitorino Nunes de Brito, diante do delegado de polícia, afrontava a lei vigente ameaçando de morte alguém que não lhe pertencia mais, mas que estava atado a um tronco por quem lhe deveria dar segurança. Nossa pergunta: onde estão as instituições, como o STF, que nos deveriam proteger da sanha dos golpistas de hoje?

Se o povo brasileiro não desafiar a conjuntura e se reunir na praça, como aqueles negros de Rio Pardo de Minas nos dias que se seguiram à Lei Áurea e, com força, celebrarem a liberdade com batuques, palavras de ordem e enfrentamentos de luta, até o alvorecer de uma República mais justa, as reformas dos senhores de escravos de hoje passarão e reduzirão os trabalhadores à condição de indivíduos prostrados, como Quintino, prontos para serem arrastados pelo humilhante rabo do cavalo da história.

Às ruas. Às praças. Para Brasília.

* Levon Nascimento é professor de História, sociólogo e mestrando em “Estado, Governo e Políticas Públicas” pela Fundação Perseu Abramo e Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais.

PM de Taiobeiras prende jovem foragido da Justiça

Jovem de 19 anos responde por assalto à mão armada
Na noite de terça (16/05), por volta da 23 horas, uma Guarnição da Polícia Militar de Taiobeiras, comandada por Cabo André Lacerda, abordou um jovem identificado por Matheus, de 19 anos, em atitude suspeita na Rua Maciel Rego, bairro Nossa Senhora de Fátima. O suspeito não estava com nada de irregular, mas ao consultar o Sistema de Segurança, os militares descobriram que havia um Mandado de Prisão Preventiva em desfavor do jovem, que recebeu voz de prisão e foi levado para a Delegacia, ficando à disposição da Justiça.

O jovem responde por assalto na comunidade Marruaz no dia 15 de abril de 2016, próximo ao povoado de Montesclarinhos, quando, em companhia de outros três elementos, invadiu a residência de um casal de idosos com armas em punho, ocasião em que agrediram as vítimas com socos e pontapés.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

PM de Ninheira prende casal que espancou e roubou comerciante

Parte do dinheiro recuperado com os ladrões
Um casal foi preso no sábado (13/05) após espancar e roubar um comerciante em Ninheira. O crime foi durante a madrugada, mas a vítima só foi encontrada por familiares ao amanhecer.

O comerciante, de 66 anos, relatou aos militares que o casal chegou ao seu estabelecimento na sexta (12) e ficaram várias horas fazendo uso de bebidas alcoólicas. Já na madrugada, quando o estabelecimento estava fechado, ouviu alguém chamando do lado de fora e ao abrir foi surpreendido pelo casal.

A vítima contou que o rapaz, de 18 anos, estava com um pedaço de madeira e logo o atingiu na cabeça. Mesmo caído, os autores desferiram vários socos e pontapés contra o comerciante, que ainda percebeu o momento em que eles roubaram todo o dinheiro, cerca de R$ 4 mil.

Devido aos ferimentos, o comerciante não conseguiu pedir socorro, mas no período da manhã, familiares foram até sua residência e o encontraram com vários ferimentos. Ele foi socorrido ao hospital da cidade, onde acionaram a Polícia Militar.

Após as informações da vítima, policiais militares iniciaram buscas pelos autores, o casal foi localizado, sendo apreendido com a mulher de 27 anos a quantia de R$ 2,3 mil e um aparelho celular que foi comprado com o dinheiro roubado. O casal foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia, juntamente com o material recuperado.


PM de Rio Pardo recupera quatro motos

Menor é flagrado após o furto, as outras três motos foram encontradas em Serra Nova
No sábado (13/05), a Polícia Militar de Rio Pardo de Minas flagrou, durante patrulhamento de rotina, um menor de 15 anos circulando pelo Centro da cidade com uma moto Honda Titan que havia acabado de furta na Avenida Beira Rio. Ao vistoriar o veículo, os policiais descobriram que a ignição estava arrebentada e que o menor portava uma chave mixa, utilizada por criminosos para destravar ignição de veículos.

Ao ser questionado, o adolescente confessou ter furtado a moto junto com outro menor de 14 anos. Ele contou ainda que o furto havia sido encomendado por um jovem identificado por Eliezer, de 21 anos, que mora no povoado de Serra Nova. Por fim, o menor disse aos policiais que estava levando a moto para fazer a entrega.

A Guarnição, comandada por Sargento Marcos Ferreira de Oliveira, deslocou até Serra Nova, onde populares informaram que havia outra moto roubada em uma casa abandonada, usada por bandidos para desmanchar de veículos. Ao vistoriar o local, os militares encontraram uma moto vermelha com placa HAJ-4614, que pertencia a uma moto Honda Titan, cor azul, de Berizal, já o chassi era de uma moto do estado de São Paulo.

Na Rua Dario Silveira, os policiais depararam com outra moto roubada, onde o autor identificado por Antonio, de 38 anos, apresentou uma moto Honda Titan, cor vermelha, com o chassi raspado e sem nota fiscal. Ele alegou que fez uma troca em outra moto com um indivíduo conhecido por Fidelcino e teria voltado R$ 400,00.

Na casa do autor Eliezer, que teria encomendado o furto junto aos menores, os policiais encontraram outra moto roubada, dessa vez uma Honda Titan 125, cor azul, placa GTL-7581, roubada no último dia 11 de maio. A mãe do autor informou que ele teria viajado para a cidade de Perdizes, no Sul de Minas.

O menor e o homem de 38 anos foram levados para a Delegacia. Os outros envolvidos não foram localizados. As quatro motocicletas recuperadas foram removidas ao pátio do Detran. Ao final, os militares apuraram também que o autor Eliezer pagava R$ 500,00 para os menores roubar cada moto.

Das novas relações trabalhistas

Por Stefan Salej
Nos dias de hoje, em que estamos abaixo da chuva de granizo da corrupção a toda hora, e discutindo a reforma da previdência como a mãe das reformas da modernização e da estabilidade das finanças públicas, acabamos deixando de prestar a atenção às mudanças nas relações trabalhistas em curso. De um lado, a queda de atividades provocou desemprego brutal no país, na prática totalmente subestimado como um dos nossos principais problemas  no momento, e por outro lado, a necessidade de adaptação rápida das empresas e trabalhadores a essa nova realidade. E nessa realidade inclui-se também a brutal mudança tecnológica, que altera a face das empresas e dos trabalhadores.

Essas mudanças, que são essencialmente culturais, requerem também adaptações de leis e regulamentos. E, sem termos percebido, essas leis foram sendo modificadas. Assim, foi alterada a lei de trabalhos domésticos, nesta semana entra em vigor a lei da gorjeta, veio a lei de terceirização, está sendo editada a lei de imigração  (a nossa estrutura demográfica está mudando e vamos precisar de mão de obra qualificada e jovem no futuro, que virá do exterior, como já acontecia no passado) e não no final, se for aprovada como parece que vai ser, a modernização da CLT.

Esta sim será a grande mudança, que infelizmente não foi resultado consensual das lideranças empresarias (se existem, ao nível nacional, com legitimidade) ou dos trabalhadores (mais preocupados com a Lava Jato do que com os direitos trabalhistas), mas de ação do governo Temer e seus aliados no Congresso. E as mudanças serão fundamentais em uma relação de trabalhadores e empresas, hoje absolutamente arbitrada pelo estado, para uma relação de igualdade, negociável e, vamos dizer, de parceria de sucesso para os dois lados.

Essa relação, que inclui escolha de representante dos trabalhadores nas empresas com mais de 200 funcionários, e negociação livre entre as partes, além de outros 18 pontos, requer urgentemente um preparo de parte a parte para a nova fase. Agora, ou vai se saber negociar e respeitar acordos, ou não haverá paz nas empresas. Os dois lados não estão neste momento preparados para esta fase. A entidade industrial mineira expõe pelo estado cartazes com nomes de deputados que votaram a favor da reforma, mas nada fez para treinar negociadores empresariais e iniciar  as conversas com sindicatos  dos trabalhadores para saber como fazer daqui por diante.

Nas duas área ha mais preocupação com a eventual extinção do obrigatório imposto sindical, aliás o que provavelmente não vai acontecer de forma radical, mas pouca preocupação com o novo modelo de organização sindical. Os sindicatos dos dois lados terão que mudar radicalmente e com eles suas organizações federativas. Acabou-se o que era doce: agora terão que prestar serviços que poucos prestavam.

E a mudança maior será referente à Justiça de trabalho. O arbítrio passa a ser mais o acordo entre as partes do que a justiça. Há cálculo na Justiça do trabalho de que as ações trabalhistas vão diminuir em 50 %. Então o diálogo entre as partes se torna cada vez mais importante e fundamental.

A nova legislação ainda não contempla a organização da fiscalização, que é exercida pelo Ministério de trabalho, outros milhares de normas que não beneficiam o trabalhador e prejudicam as empresas. Ela também não será, a curto prazo, a salvação de empregos, e nem a redução de custos de trabalho. Mas, se as partes se preparem para a transição, o que hoje não está acontecendo, os resultados podem vir mais rápido e melhores para todos.
Stefan Salej é empresário, ex-Presidente do SEBRAE Minas e da FIEMG

Duplicação da BR-251 depende de forças políticas da região

Coordenador do DNIT, Wainer Nether, alerta que prazo vence em 22 de agosto
O coordenador regional da DNIT no Norte de Minas, Wainer Nether, está fazendo apelo aos prefeitos e deputados da região para inserirem uma rubrica orçamentária destinada a BR-251 para o ano de 2018. O prazo final para incluir a rubrica no Orçamento da União é até o dia 22 de agosto, só assim as obras de ampliação e duplicação da rodovia poderá sair do papel.

No entanto, para inserir a rodovia no Projeto de Lei do Orçamento é preciso de muita força política, pois a obra de duplicação está estimada em R$ 1 bilhão. Conforme o DNIT, a proposta é executá-la em quatro anos, para isso seria necessária a inserção de R$ 250 milhões por ano no Orçamento.

Resta saber agora se os políticos do Norte de Minas irão se unir em torno do projeto, e também é preciso saber se a união dos políticos reunirá força suficiente para emplacar a rubrica no Orçamento.

Faltam pouco mais de 90 dias para vencer o prazo de inclusão da rubrica no Orçamento. Vamos ficar de olho!