Facebook

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Moradores reclamam dos caminhões pipa

Vários moradores do bairro Planalto estão procurando o Folha Regional para denunciar que os caminhões pipa não estão parando nas portas de suas casas para entregar a água. Segundo eles, os motoristas param nas esquinas e querem que as pessoas levem as caixas e/ou vasilhas até o caminhão.

Danilo e Carlito: dos palanques para o banco do réu


Dos palanques para o banco do réu!!!
O prefeito eleito de Taiobeiras, Danilo Mendes (PSDB) e o candidato da oposição, Carlito Arruda (PDT) vão ficar frente a frente no Tribunal. A juíza de Taiobeiras, Marcela Decat, marcou para a tarde do dia 06 de novembro duas esperadas audiências: uma referente ao vídeo que acusa Danilo de compra de votos e outra que acusa Carlito de abuso de poder econômico.

As audiências são públicas e qualquer cidadão pode acompanhar.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Superintendente da Copasa enfrenta a fúria dos taiobeirenses


Superintendente foi vaiado em Taiobeiras
Durante manifestação realizada hoje à tarde (30/10), uma turma de taiobeirenses execraram a Copasa de Taiobeiras com faixas, cartazes e muitas vaias. Inicialmente, o protesto focava a construção da famigerada Barragem de Berizal, mas a presença do Superintendente da Copasa, Daniel Antunes, inflamou os manifestantes, que o vaiaram o tempo todo. “Não dar mais para ter paciência. A Copasa quer vender água cara, mas não tem a água para vender”, disse o vereador Nem Pilão, que criticou a falta de concorrência e o desinteresse da empresa em investir em Taiobeiras.
Outro que detonou a Copasa foi o radialista Ronaldo Saturnino. “Há 20 anos a Copasa vem prometendo barragem em Taiobeiras e até agora não fizeram nada, mas na hora de cobrar a empresa é eficiente”, criticou o radialista. “Todas as cidades da região tem barragem, só Taiobeiras não tem”, completou. “Um buteco precisa ter pinga, um bordel precisa ter puta e a Copasa precisa ter água”, chacoteou Ronaldo.
O comerciante Zé Alves disse que a Copasa precisa parar de terceirizar a culpa pela falta de água em Taiobeiras. “A única culpada é a Copasa, que quer vender água sem investir em armazenamento”, disse Zé Alves, que pediu para a Câmara de Vereadores para rever o contrato de concessão com a empresa. “O contrato não destina as obrigações da empresa e se ela não tem competência para abastecer a cidade, que abra mão da concessão”, emendou.
Faixas e cartazes cobraram soluções
Diante de uma platéia pequena, mas muita revoltada, o Superintendente Daniel Antunes foi chamado ao microfone e teve que “ouvir cobras e lagartos”. Por vários momentos foi interrompido por gritos e vaias. “A solução para Taiobeiras é a Barragem de Berizal, pois, na década de 80, foi feita a drenagem nos rios Ribeirão e Santana que prejudicou o rio Pardo. Com isso, o rio perdeu as vazantes e as águas correm rapidamente para o mar”, explicou Daniel sob muitos protestos.
O Superintendente não fugiu das vaias e enfrentou os manifestantes com incrível calma, inclusive com algumas alfinetadas nos momentos mais exaltados. “Quanto à concessão questionada pelo comerciante, a Copasa está disposta a devolver, pois a empresa não é a única culpada”, argumentou o Superintendente, sempre muito vaiado. “Se quiser me bater, pode bater, mas garanto que a Copasa fez investimentos em Taiobeiras”, zombou Daniel, citando que a Copasa fez 5 barragens no rio Pardo, mas 3 romperam. “Se tivéssemos a Barragem de Berizal não estaríamos passando por isso”, emendou.
Intertv cobriu a manifestação
Sob a pressão dos protestos, Daniel garantiu ao público que a Copasa não vai cobrar as tarifas durante o período de crise, e enalteceu a contratação dos caminhões pipa para abastecer a cidade. “Estamos buscando água onde tem, pois a seca é em toda a região”, disse.
Quanto a qualidade da água, Daniel concordou que realmente é suja, mas garantiu que está sendo tratada antes de ser distribuída. “Colocar a culpa na Copasa é fácil, mas temos que nos unir e cobrar a construção da Barragem de Berizal”.
Depois de debater com os manifestantes, nossa reportagem perguntou ao Superintendente quais seriam as providências imediatas para resolver o problema de Taiobeiras, já que a Barragem de Berizal é um projeto de longo prazo, e ele garantiu as construções de soleiras de nível. “No próximo ano, vamos construir duas ou três soleiras na calha do rio”, afirmou.

Berizal: a barragem da corrupção


Saiba por que a Barragem de Berizal se transformou num ‘elefante branco’
O Jornal Folha Regional fez uma breve pesquisa junto aos órgãos governamentais e apurou os principais motivos que transformam as obras da Barragem de Berizal num imbróglio vexatório e de difícil solução.

O ‘elefante branco’ começou a ser desenhado em 2006, quando a fiscalização dos técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou diversas irregularidades graves, dentre elas: não-concessão de outorga para alteração do regime de vazão do Rio Pardo; estudo apontando que a vida útil da barragem estaria comprometida, em decorrência de grave assoreamento; e execução orçamentária irregular, com superfaturamento escandaloso. Mas, o maior absurdo mesmo foi a inexistência de licença ambiental para a construção, algo primário que foi ignorado por todos os responsáveis pelo empreendimento.

E para piorar ainda mais a situação, que já era desastrosa devido o descumprimento da legislação ambiental, o TCU ainda apontou que houve licitação fraudulenta. Resultado: o Tribunal de Contas simplesmente suspendeu as verbas para a Barragem.

A auditoria do TCU é de “cair o queixo”, pois a irregularidades na construção da Barragem tinha preços excessivos, despesas indevidas e custos mais elevados de insumos e serviço. Por tudo isso, os diretores do Dnocs foram multados por não adotarem as providências necessárias para sanear as dúvidas sobre a viabilidade ambiental e econômica da obra.

Em 2008, haviam R$ 30 milhões destinados à barragem no Orçamento da União, mas, por falta de licenciamento, o DNOCS, órgão responsável pelo empreendimento, perdeu o recurso. Em 2009, a barragem voltou a perder mais R$ 12 milhões, dinheiro este que foi desviado para obras no Nordeste.

Em 2011, o Ministério Público Federal, através do procurador Allan Versiani de Paula, abriu inquérito civil público para apurar danos ambientais em decorrência da construção da Barragem, que foi iniciada sem o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e sem o devido licenciamento do órgão ambiental competente.

E para piorar ainda mais a situação da famigerada obra, um conjunto de entidades não-governamentais, aliados com a Associação dos Atingidos pela Barragem, fazem uma série de denúncias contra o empreendimento. Segundo eles, a barragem servirá apenas para os grandes projetos de irrigação, inundando terras férteis e abastecendo áreas improdutivas, deixando agricultores familiares em grandes dificuldades.

Portanto, esta é a realidade da Barragem de Berizal, que foi iniciada sem aprovação de projetos ambientais e ainda se tornou um “ralo” para a corrupção.

Barragem de Berizal é utopia neste momento

Barragem de Berizal: "elefante branco"
Falar que a Barragem de Berizal é a solução do abastecimento de água em Taiobeiras é querer “tapar o sol com a peneira”. A obra é milionária e está emperrada em processos irregulares, tanto jurídicos como ambientais, além de escandaloso superfaturamento.

Resumindo: desenterrar esse “elefante branco” é um processo de longo prazo e Taiobeiras não pode esperar, pois precisamos de água pra ontem. A nossa única saída no momento é a construção de “soleira de nível” no rio Pardo, próximo à estação da captação de água.

Se vira Copasa!!! E ponto final.

Copasa aluga mais pipas


Caminhões pipa abastecem a estação da Copasa em Taiobeiras. Intertv está na cidade cobrindo a calamidade.
Copasa amplia a frota de caminhões pipa para abastecer Taiobeiras. A empresa alugou mais 2 carretas de 35 mil litros cada e mais 2 caminhões de 20 mil litros cada. A partir de hoje são 4 carretas e 6 caminhões no total.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Bairrismo: Taiobeiras evita pegar água em Salinas

Soleira de nível da Fazenda HP já está comprometido e, mesmo assim, Copasa evita buscar água em Salinas por puro bairrismo político

Covardia!!!!! O nível do reservatório da Fazenda HP já abaixou 1 metro.

Por orgulho, Copasa de Taiobeiras prefere pegar água na soleira de nível da HP, ao invés de pegar na Barragem de Salinas. Com isso, a soleira de nível da Fazenda ficou
comprometida e, se não chover urgente, não restará outra saída: TAIOBEIRAS TERÁ QUE BEBER ÁGUA DE SALINAS, MESMO CONTRA A VONTADE DE ALGUNS!!!

Nunca tinha visto um bairrismo tão ridículo como esse!!!

Nas imediações da soleira de nível da Fazenda HP moram cerca de 6 mil pessoas e a Copasa está sugando a última reserva de água existente no local, enquanto que a Barragem de Salinas tem água sobrando.

Além disso, a distância percorrida pelos caminhões da Copasa entre a soleira de nível da HP e a estação de tratamento é de 40 quilômetros. Ou seja: praticamente a mesma distância de Taiobeiras à Salinas.

Isso é irresponsável, covarde. Bairrismo puro!!

Copasa envergonha Taiobeiras

Estação de captação da Copasa em Taiobeiras: degradação e falta de planejamento
Inacreditável uma cidade do porte de Taiobeiras ficar a mercê de uma MERDA igual a Copasa. Cadê o contrato concessão??? Tá na hora do prefeito Denerval acionar a Justiça e colocar essa empresa mercenária para cumprir todas as cláusulas. Caso contrário, a cidade vai ficar passando a vergonha de ser abastecida por caminhões pipa.

Copasa investe em Rio Pardo


Em Rio Pardo de Minas, a Copasa está investindo no armazenamento de água. Nos próximos dias, a empresa concluirá as obras da “Soleira de Nível”, que está sendo construída próxima à sua estação de captação. O investimento prevê o armazenamento de água para abastecer a cidade nos períodos de estiagem.

sábado, 27 de outubro de 2012

Água da HP também vai acabar


Reservatório do empresário Carlos Humberto só suporta mais dois dias. E agora?
Empresário Carlos Humberto mostra a realidade do reservatório


Na manhã deste sábado (27/10), nossa reportagem esteve na barragem da Fazenda HP, propriedade do produtor rural Carlos Humberto, onde os caminhões pipa da Copasa estão pegando água para abastecer a população de Taiobeiras, e a constatação foi assustadora: a água está acabando lá também. “Pela quantidade de água que a Copasa está retirando, acredito que vai acabar com dois dias. Provavelmente, na segunda-feira não terá mais condições de pegar água aqui”, alerta o empresário Carlos Humberto.
Na verdade, a Copasa não está retirando água de uma barragem e sim de uma “soleira de nível”, que já está totalmente comprometida. “Esse reservatório atende a Fazenda e mais 6.000 pessoas que moram nas comunidades das imediações. Se a Copasa continuar pegando a nossa água, todos ficarão numa situação de calamidade, pois não existe mais água por perto”, disse o empresário, demonstrando muita preocupação com a situação.
Operador mostra a quantidade de água que foi retirada
Nossa reportagem questionou Carlos Humberto sobre o risco de perder suas lavouras e de deixar os 6.000 moradores das imediações com sede, já que ele está dando a água para a Copasa de Taiobeiras. E a resposta do empresário foi surpreendente: “É a partilha. Ninguém é tão pobre que não possa doar algo. E ninguém é tão rico que não precise de algo”, disse Carlos Humberto, que ainda está fornecendo toda a logística para a Copasa pegar a água em sua fazenda, como bombas, energia e até operador para os maquinários. Tudo de forma gratuita. “Eu estou ajudando no que posso, mas o povo precisa saber que a minha água está acabando. A partir de segunda-feira será caos total”, alertou o empresário.
Até o final deste sábado, os caminhões pipa da Copasa deverão retirar cerca de 1 milhão de litros de água do reservatório de Carlos Humberto, conforme as anotações do próprio empresário, que está monitorando toda a movimentação em sua propriedade. Segundo um operador da fazenda, em apenas uma noite, o nível da água abaixou 32 centímetros, conforme mostra a foto.
Caminhão é abastecido na estação da Fazenda HP
A quantidade de água captada pelos caminhões é bem menos do que foi prometido pelo Superintendente da Copasa, Daniel Antunes, em entrevista ao Folha Regional no dia 24, quando havia anunciado que iria transportar 2 milhões de litros/dia para a estação da Copasa. De acordo as anotações fornecidas pela Fazenda HP, até às 11 horas deste sábado, os caminhões haviam transportado pouco mais de 600 mil litros, por isso, muitas residências de Taiobeiras permanecem sem água. 
Através de um raciocínio lógico, a Copasa deveria ir buscar água na barragem de Salinas, onde possui quantidade suficiente, mas, conforme uma fonte, existe um vexatório bairrismo político em Taiobeiras, fazendo com que a Copasa fosse para a comprometida soleira de nível da Fazenda HP, fato que está colocando o abastecimento das comunidades locais em risco, alem de toda a produção agrícola da fazenda.

Controvérsias nas informações do Superintendente da Copasa

Superintendente Daniel Antunes
Em entrevista concedida pelo Superintendente da Copasa, Daniel Antunes, no último dia 24 de outubro, o Jornal Folha Regional foi informado que a Fazenda HP possuía água suficiente para abastecer Taiobeiras até a chegada das chuvas, mas, na verdade, a água contida na soleira de nível da Fazenda já está no limite, conforme a própria reportagem constatou na manhã de hoje, fato também afirmado pelo operador da Fazenda.
Na mesma entrevista, o Superintendente informou que chegariam à Taiobeiras 3 carretas e 5 caminhões-pipa, mas na verdade, chegaram 2 carretas e 4 caminhões, que são totalmente insuficientes para colocar 2 milhões de litros por dia na estação da Copasa. Cometa-se que vão chegar mais caminhões nas próximas horas.
Segundo Daniel Antunes, parte da culpa pela falta de água em Taiobeiras é dos irrigantes que retiram grandes quantidades do rio. Na entrevista, o Superintendente disse que “tem irrigante que consome 5 vezes mais que a Copasa”. A informação é questionada pelo produtor Carlos Humberto, o único grande irrigante existente acima da estação da Copasa. “Eu sou o único irrigante nessa parte do rio e tenho dado a minha colaboração para preservá-lo, prova disso é que meus investimentos estão socorrendo a própria Copasa neste momento”, argumenta o empresário, citando que os outros grandes irrigantes estão localizados abaixo da estação da Copasa, como Ronaldo Pena, Carlos Lucas, Félix e Rubião.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Taiobeiras será abastecida por caminhões pipa



A frota de caminhões pipa alugados pela Copasa acabou de chegar à Taiobeiras. Chegaram duas carretas e quatro caminhões, que foram abastecidos (foto) e já seguiram para a barragem da Fazenda HP, propriedade do empresário Carlos Humberto. Com isso, o Superintendente da Copasa espera que amanhã o problema seja amenizado.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Falta de água tira o sono do prefeito Denerval

Diante da humilhação dos caminhões pipa, prefeito critica a falta de investimentos da Copasa e o descaso com a Barragem de Berizal



Prefeito Denerval não alivia a Copasa
O prefeito Denerval Germano, em entrevista à nossa reportagem, garantiu que está cobrando providências da Copasa e que, inclusive, o presidente da empresa, Ricardo Simões, esteve em Taiobeiras e visitou a captação no rio Pardo. “Os órgãos do Estado são muito lentos. Temos ofícios desde 2007 pedindo investimentos e em março deste ano fizemos sinal de alerta, pois sabíamos que este ano seria igual 1998”, disse o prefeito.
Na entrevista, Denerval deu uma informação bombástica. “Se eu não tivesse brigado muito com eles pra tomar umas medidas emergências, aumentando as barragens existentes, teria faltado água desde o mês de maio”, disse o prefeito, citando as “obras” paliativas feitas nas barragens de Osmilton e na comunidade Areia. “Eu fiz o que eu pude e estou até agora brigando com eles”, completou.
O prefeito disse que as explicações têm que ser dadas pela Copasa, que tem a concessão, mas está ajudando no possível. “Estou sem dormir, estou brigando e fazendo o que posso. A Copasa é assim em qualquer lugar de Minas. Eles não investem o necessário”, criticou Denerval.
A logística para buscar água com caminhões pipa na barragem do produtor Carlos Humberto, em Rio Pardo de Minas, está pronta e, inclusive, será acompanhada pelo próprio Superintendente da Copasa, Daniel Antunes, a partir desta quinta, dia 25.
Segundo Denerval, a luta agora é para a Copasa fazer investimentos, para isso, é preciso colocar recursos no Orçamento de 2013. “Vou ficar aqui ajudando a resolver os problemas até chover, depois, vou à Belo Horizonte tentar buscar investimentos para o Orçamento do ano que vem”, informou.
Denerval também acredita que a solução definitiva para o problema é a Barragem de Berizal. “O problema é que a coisa é muito lenta e a Barragem de Berizal virou a prima pobre, feia e desdentada”, disse. “O governador sobrevoou a Barragem e toda reunião eu falo da obra, que está desgastada e sem crédito devido a gestão ruim do DNOCS de Montes Claros, que é uma casa de aranha, que só sabe colocar a culpa no Governo do Estado e nos órgãos ambientais”, alfinetou o prefeito, alegando que é preciso unir Imprensa e movimentos populares para alavancar a barragem. 
Quanto às críticas que vem sofrendo, especialmente nas redes sociais, Denerval disse que o prefeito sempre é o primeiro a ser culpado. “Deus perdoa sempre, a natureza não perdoa nunca. Isso é o reflexo do que nós fizemos com a natureza ao longo dos anos. Com essa situação agora, tem que ter um culpado, mas eu não estou nem um pouco preocupado com isso, pois sei da minha função e vou brigar até a última hora. Não vou fugir”, disse o prefeito, citando as consequências da falta de água. “Uma empresa nunca vai querer investir numa cidade que não tem água e temos que resolver esse problema”, completou.

Amanhã, Copasa enviará 3 carretas e 5 caminhões para abastecer Taiobeiras


Calamidade: Taiobeiras passa a depender dos famigerados caminhões-pipa
Superintendente Daniel contrata
caminhões-pipa para atender Taiobeiras

O Superintendente da Copasa no Norte de Minas, Daniel Antunes, acaba de anunciar para a nossa reportagem que amanhã (25/10) chegará à Taiobeiras três carretas e cinco caminhões-pipa para abastecer o sistema de distribuição de água da cidade. “Vamos colocar 2 milhões de litros de água por dia no sistema”, informou o Superintendente, afirmando que a situação é de calamidade pública.
Segundo Daniel, os caminhões irão buscar água na barragem do produtor rural Carlos Humberto, distante cerca de 30 quilômetros de Taiobeiras. “Lá tem água suficiente para abastecer a cidade até a chegada das chuvas”, garante o Superintendente, informando que existe previsão de chuva para o dia 1º de novembro.
Nossa reportagem perguntou ao Superintendente porque um produtor rural consegue armazenar grande quantidade de água e a Copasa não consegue. “O problema são os irrigantes, que estão retirando muita água do rio Pardo. Tem irrigante que consome 5 vezes mais que a Copasa”, respondeu Daniel. “Outro problema foram as barragens que quebraram”, completou.
Daniel enumera uma série de problemas que está destruindo o rio Pardo, citando como piores exemplos as irrigações e as drenagens dos rios Ribeirão e Santana, feitas na década de 80 e que causou grande impacto ambiental.
Como solução, o Superintendente aponta duas ações urgentes: as construções de soleiras de nível acima da estação de captação e o término da Barragem de Berizal. “A Copasa precisa entrar na luta para terminar a Barragem de Berizal, que é a principal solução para o problema da seca no Alto Rio Pardo”, disse Daniel.
Questionado sobre a falta de investimentos da Copasa, Daniel Antunes argumentou que todo ano pede para colocar investimentos em Taiobeiras no orçamento da empresa, mas agora, com a mudança da diretoria, espera ser atendido. “O presidente da Copasa esteve em Taiobeiras e viu a situação com os próprios olhos, portanto acredito que os investimentos agora passarão a ser prioridade máxima”, disse.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Juíza de Taiobeiras recebe manifestantes



No 3º protesto dos eleitores de Taiobeiras, realizado nessa tarde (22/10) em frente ao Fórum, a juíza da Comarca, Marcela Decat, ouviu todas as alegações dos eleitores que cobram apuração das denúncias de compra de votos contra o candidato eleito Danilo Mendes (PSDB). Na oportunidade, a juíza considerou que as denúncias são realmente graves e garantiu esforço para sentenciar o processo ainda este ano.

Morte no retorno do trabalho

O jovem José Nilson Silveira Costa, popular Galego, de 22 anos, foi vítima de um fatal acidente de trânsito agora a pouco em Taiobeiras. Ele retornava da lavoura de tomate na propriedade Mutuca, quando bateu de frente com um caminhão baú numa estrada vicinal próximo ao bairro Newton Júnior.

Barragem de Machado está com apenas 10% da capacidade


Seca assombra a região
Nível da maior barragem no rio Pardo abaixou mais de 8 metros

O caos pela falta de água é eminente na microrregião Alto Rio Pardo. A barragem de Machado Mineiro, usada pela Cemig para geração de energia, está com incríveis 10% de sua capacidade normal, algo jamais visto desde que entrou em operação, em 1992. “Trabalho aqui há 23 anos e nunca tinha visto isso antes”, disse Denervaldo Moreira, Operador da Usina.

Conforme a Cemig, o volume útil do reservatório é de 142,80 milhões de metros cúbicos, mas, devido o longo período de estiagem, o nível de água da barragem abaixou 8,44 metros e no momento se encontra com apenas 10% do volume normal, enquanto que o normal antes do período chuvoso seria de no mínimo 40% da capacidade.

A barragem de Machado Mineiro, com 300 metros de comprimento, é a maior no perímetro mineiro do rio Pardo, mas com a seca, a sua geração de energia, com potência instalada de 1,72MW, se encontra com 30% de capacidade. “Uma das máquinas já foi parada e a outra está girando apenas para manter a perenização do rio”, informa Denervaldo.

Depois que os palanques foram desmontados, os políticos sumiram e o povo está com sede, apenas rezando para chover, pois se depender dos nossos representantes os caminhões pipa continuarão reinando no Alto Rio Pardo.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Prefeito Denerval detona a Copasa


Prefeito Denerval (ao centro) durante reunião com os ribeirinhos

Durante reunião com a promotora da Comarca de Taiobeiras, Ana Gabriela; com o gerente da Copasa, Deusdete Rocha e com líderes ribeirinhos, o prefeito Denerval Germano mostrou impaciente com a Copasa, empresa responsável pelo abastecimento de água em Taiobeiras. “Estamos vivendo uma situação calamitosa, de extrema gravidade. Desde 2006 estamos cobrando providências da Copasa, especialmente um 3º barramento do rio”, disse o prefeito, informando ainda que desde o mês de março a presidência da Copasa havia sido alertado para a situação. “O presidente da Copasa veio à Taiobeiras e sabia que a água ia acabar”, reclamou o prefeito.

Na reunião, Denerval expôs aos ribeirinhos que a permissão do bombeamento das águas dos poços que formam no rio Pardo é urgente, pois a situação é de extrema emergência. O prefeito pediu piedade aos ribeirinhos. “A situação é de vida ou morte. É para salvar a cidade”, clamou o prefeito.

Diante da crise, Denerval detonou a Copasa. “Já mandei mais de 10 ofícios pedindo providências e mesmo assim estamos nessa situação. A Copasa tem obrigação de armazenar a água, pois é ela que fornece e cobra para isso. A empresa tem culpa sim, pois sempre alertamos sobre a situação. A Copasa precisa tomar vergonha, pois os investimentos a serem feitos são pequenos”, rasgou o prefeito.

Ao final, Denerval agradeceu a compreensão dos ribeirinhos, que permitiram o bombeamento das águas dos poços para a estação da Copasa. “Se não bombear a água hoje, amanhã a cidade está sem água”, lamentou o prefeito.

Copasa firma TAC e ribeirinhos deixam bombear água dos poços


Ajeito salva o abastecimento de Taiobeiras por alguns dias, caso contrário, amanhã a cidade estaria sem água
Promotora Ana Gabriela e o gerente da Copasa Deusdete Rocha durante reunião com líderes ribeirinhos

Em reunião na sede da Polícia Ambiental de Taiobeiras, o gerente da Copasa, Deusdete Rocha, firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a promotora Ana Gabriela visando minimizar os efeitos da falta de abastecimento de água na cidade. O prefeito Denerval Germano e vários ribeirinhos estavam presentes.

Na ocasião foi firmado um acordo com os ribeirinhos, que permitirão bombear as águas dos poços do rio até a estação de tratamento da Copasa, fato que garantirá o abastecimento de água em Taiobeiras pelos próximos dias. Em contrapartida, a Copasa prometeu fornecer caminhão pipa para atender as famílias prejudicadas.

O bombeamento era para ser iniciado ontem à noite, mas os ribeirinhos se organizaram e impediram a ação dos funcionários da Copasa, que chegaram a discutir com os ribeirinhos. Com isso, a promotora foi acionada para mediar o imbróglio.

No TAC, o Ministério Público deu prazo de 15 dias para a Copasa retirar a argila colocada no leito do rio para represar água, pois, se chover poderá causar terrível dano ambiental. Também foi acordado que, a partir de então, qualquer intervenção no rio deverá ser comunicado previamente com o Ministério Público e com representantes dos ribeirinhos.

Se a Copasa não cumprir o TAC, vou acionar a Justiça e requerer a multa, que será diária. O TAC não é a solução ideal, mas é o que se poder fazer de imediato”, disse a promotora Ana Gabriela.

Taiobeiras pode ficar sem água


Rio Pardo simplesmente secou
Calamidade!!!
A gerência da Copasa de Taiobeiras informa que o abastecimento de água será racionado na cidade. O fornecimento normal encerra-se hoje, pois a água da estação de tratamento simplesmente acabou. Como paliativo, a Copasa quer bombear água de poços existentes no rio Pardo, mas a empresa está enfrentando resistência dos órgãos ambientais, especialmente do MAB.
Neste momento está sendo realizada uma reunião no Batalhão da Polícia Militar para debater o assunto.
Aguardem mais informações.

Eleitores de Taiobeiras cobram agilidade da Justiça Eleitoral

Na tarde do dia 17, um grupo de eleitores da oposição fez o 2º protesto no Fórum de Taiobeiras para cobrar agilidade na tramitação do processo que pede a cassação do prefeito eleito Danilo Mendes (PSDB), acusado pelo Ministério Público de compra de votos, uso da máquina pública e abuso de poder econômico.

O processo que pede a cassação de Danilo foi protocolado no início da noite do dia 06 de outubro, vésperas das eleições. Depois disso, a juíza de Taiobeiras, Marcela Decat, autorizou a quebra de sigilo telefônico de Gildésio Cardoso, o popular Dedé, um dos coordenadores da campanha de Danilo e abriu prazo para os acusados se manifestarem.







quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Nota de esclarecimento da Promotora de Taiobeiras


No dia 11 de outubro, o Blog da Folha Regional publicou nota sobre um protesto de eleitores em frente ao Fórum de Taiobeiras, ocasião em que foi noticiado que a juíza e a promotora não estavam presentes por estarem curtindo o feriadão desde à tarde do dia 10, no entanto, na tarde deste dia a promotora estava na Comarca de São João do Paraíso, como esclarece a nota enviada à redação:

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Os vereadores mais votados do Alto Rio Pardo

Tuchinha, de Rio Pardo e Pezão, de Taiobeiras
Os dois vereadores com a maior quantidade de votos na microrregião Alto Rio Pardo são do Partido Progressista (PP): Juscelino Miranda, o popular Tuchinha, de Rio Pardo de Minas e Valmir Batista, o popular Pezão, de Taiobeiras. Coincidentemente, ambos obtiveram 1.106 votos, sendo que Tuchinha ficou com 7,14% dos votos válidos e Pezão com 6,11%.